Navegação de Posts

Patrick Swayze, de “Ghost”, morre aos 57 anos.

08-1658_the_beast_premeires

patrick-swayze-now

patrick

Menos de dois anos depois de ter sido diagnosticado com câncer no pâncreas, o ator Patrick Swayze morreu, nesta segunda-feira (14/09/09), aos 57 anos de idade. Sua marca no cinema será lembrada por dois papéis emblemáticos: o marido apaixonado que se recusa a morrer em “Ghost” (1990) e o irreverente instrutor de danças num resort de verão no início dos anos 60 em “Dirty Dancing” (1987). Um de seus primeiros papéis: o jovem guerrilheiro que lidera um grupo de amigos contra soviéticos que invadiram território americano na delirante aventura direitista “Amanhecer Sangrento” (1984). Mas, Patrick foi além. Atuou em papéis tão diversos quanto surpreendentes. Foi uma drag-queen em “Para Wong Foo, Obrigada por Tudo, Julie Newmar!” (1995). Ou o vilão surfista e ladrão de bancos perseguido pelo policial Keanu Reeves em “Caçadores de Emoção” (1991).  Se não bastasse tal versatilidade, Patrick Swayze era dançarino. Aliás, nasceu no Estado do Texas nesse meio artístico, pois sua mãe, Patsy era dona de uma escola de dança na cidade de Houston e coreógrafa requisitada. O pai era engenheiro. Estudar dança lhe foi um caminho natural. Seu primeiro trabalho artístico como dançarino foi no papel do Príncipe no espetáculo “Disney On Parade”. Dançar era tão natural que se casaria também com uma dançarina no ano de 1975: Lisa Niemi. A jovem se formou na escola da mãe de Patrick. Conheceu-a quando tinha 19 anos e ela apenas 15. Lisa esteve sempre a seu lado na saúde e na doença. Na vida pessoal, tinha brevê de piloto e até fez um pouso forçado numa estrada, escapando sem ferimentos em 1996. Em janeiro deste ano, concedeu entrevista ao programa de TV da jornalista Barbara Walters e confessou: ele havia se recuperado do alcoolismo, mas continuava fumante compulsivo, dois fatores que ajudaram a desenvolver o câncer pancreático. Anunciara publicamente que ele e a mulher estavam escrevendo um livro sobre sua vida de ator e dançarino. E sobre os últimos meses de tratamento que o debilitaram. Seu último papel se destacou na TV na série “The Beast” (2009) sobre um perturbado agente do FBI. Mas, na vida real, mesmo com um câncer agressivo, Patrick Swayze mostrava-se otimista e falava abertamente da sua luta contra a doença e os tipos de tratamento. Ele conhecia o Brasil. Visitou o Rio de Janeiro em 1995 numa passagem que passou quase desapercebida pela imprensa. Para o público, a sua imagem ficou consolidade por dois filmes: “Dirty Dancing” e “Ghost”. Em uma de suas últimas entrevistas, lembrou que nunca se preocupou em preservar seu corpo. Jogou futebol, fez todo o tipo de ginástica, mergulho, balé, aprendeu lutas marciais e tudo isso agora, como a doença, lhe parecia um pouco estúpido.  Morreu ao lado de seus parentes e da mulher Lisa, com quem vivia num rancho perto de Los Angeles. O ator Patrick Swayze não deixou filhos.

Veja Patrick Swayze na sequência da dança de “Dirty Dancing” ao som de “The Time of My Life” num dueto com Jennifer Grey. Clique no link abaixo para o site Youtube:

http://www.youtube.com/watch?v=WpmILPAcRQo&feature=related

Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • Vaniadias223

    UMA PERDA INESTIMÁVEL, DEIXARÁ SAUDADES…..