Pedacin e esquema: dá trabalho demais

Helen Braun   07/03/2017   Comentários desativados em Pedacin e esquema: dá trabalho demais

A primeira história terminou no carnaval. Uma amiga vinha curtindo um affair há cerca de dois meses, com um cara aparentemente bacana até que foi obrigada a aderir ao hit da folia “Você partiu meu coração” depois que ele decidiu desaparecer durante a festa. Sem mais, nem menos, ele sumiu. Na verdade, ele não desapareceu completamente, em um dos dias,… Leia mais »

Da série certas coisas que só acontecem com certas pessoas (ou, de como nos conformamos com a desgraça alheia)

Helen Braun   23/02/2017   Comentários desativados em Da série certas coisas que só acontecem com certas pessoas (ou, de como nos conformamos com a desgraça alheia)

Quarta-feira, cai aquela chuva de final de tarde em São Paulo – na forma líquida e sólida. A cidade vira um caos, falta luz, alaga tudo, o estrago está feito.  Por causa da falta de energia e, principalmente, porque a Eletropaulo não dava previsão da volta dela, as aulas foram suspensas. “Vou para casa  mais cedo”.  No caminho de casa,… Leia mais »

Sobre Marine Le Pen, o véu e uma polêmica que nunca existiu

Helen Braun   22/02/2017   Comentários desativados em Sobre Marine Le Pen, o véu e uma polêmica que nunca existiu

Post de esclarecimento para quem assistiu o Programa 3 em 1 do dia 21/02 e o Morning Show do dia 22/02 Começo  esta história fazendo uma distinção importante dentro do jornalismo: quando um repórter REPORTA algo, ele está ali contando uma história, procurando mostrá-la sob as mais variadas óticas, para que o receptor da mensagem tire suas conclusões. Diferentemente disso,… Leia mais »

Sobre religião, religiosidades e afins

Helen Braun   10/02/2017   Comentários desativados em Sobre religião, religiosidades e afins

Por algum motivo desconhecido, fui metralhada na noite passada por perguntas no twitter que envolviam minha espiritualidade/ religiosidade. As primeiras e mais insistentes perguntas vieram de um ouvinte identificado no twitter como @RodnerValente. A ele, prometi então tentar explicar como enxergo esta questão. Primeira Pergunta: Só pra saber: você é ateia? Não. Não sou ateia. Qual sua religião: Não tenho… Leia mais »

As armadilhas da linguagem e a minha (grave) falha

Helen Braun   10/02/2017   Comentários desativados em As armadilhas da linguagem e a minha (grave) falha

Este texto é um agradecimento e um sincero pedido de desculpas à Gabriela Di Lascio Sperotto Mais do que isso, é um reconhecimento de que estamos aprendendo, todos os dias, a sermos alguém melhor. Em um debate esta semana no Morning Show sobre  vídeo divulgado pela atriz Tássia Camargo , acusando a imprensa brasileira de Golpista, manipuladora das massas, etc,  fiz… Leia mais »

Moço, eu não quero seu cavalheirismo. Obrigada (explicando, didaticamente, o porquê)

Helen Braun   08/02/2017   Comentários desativados em Moço, eu não quero seu cavalheirismo. Obrigada (explicando, didaticamente, o porquê)

Estou chegando aqui na Jovem Pan, quando um colega segura o elevador para mim e outras duas mulheres e comenta: – Se não sou eu para segurar este elevador…O cavalheirismo morreu neste mundo. Eu respondo: – Ainda bem! Nisso, ele e as duas mulheres me olham atravessado.  E começa o debate: Colega: Como assim ainda bem? Eu: Eu não preciso… Leia mais »

No dia mundial do câncer, uma reflexão sobre o impermanente

Helen Braun   03/02/2017   Comentários desativados em No dia mundial do câncer, uma reflexão sobre o impermanente

Recentemente, enfrentamos o câncer. E, quando eu digo isso na primeira pessoa do plural, é porque câncer é assim mesmo: uma doença que atinge não somente o paciente – todo  mundo que está próximo é, de alguma, forma acometido. Ninguém fala muito mas as complicações vão desde o óbvio medo de perder alguém que a gente ama muito, passando pela… Leia mais »