Sim, tivemos Bjork denunciando comportamento abusivo do diretor Lars Von Trier . Agora, nove mulheres denunciaram casos de assédio sexual e moral dentro do estúdio de cinema dinamarquês que o cineasta é sócio. Em entrevista ao jornal Politiken, 9 ex-funcionárias narraram situações como seios apalpados, e pedidos inapropriados e de cunho sexual, como pedidos para que elas ficassem de joelhos para “serem espancadas”, ou ordens para que essas mulheres “apertassem seus mamilos” e “vacinassem seus porcos”.

O autor é  Peter Aalbæk Jensena , ex-CEO do estúdio Zentropa e parceiro de Von Trier nos negócios.

A jornalista e ex-funcionária da empresa Anna Mette Lundtofte afirmou:

“Eu acho que todos que trabalharam na Zentropa já foram expostos ou presenciaram certas coisas. Tanto em termos de bullying quanto de assédio sexual. Eu vi mulheres sendo degradadas. A Zentropa sempre se vendeu como uma empresa de ‘cultura alternativa’, mas lá impera uma estrutura antiga e patriarcal”

Produtor executivo de diversos filmes de Lars Von Trier, como  Melancolia, Ninfomaníaca, Ninfomaníaca – Volume Ii, Dançando No Escuro e Dogville, Jensen saiu do cargo de CEO da companhia no ano passado, mas ainda é dono de 25% das ações ao lado de Von Trier. Em declaração oficial, ele afirmou que não se lembra dos casos, mas que “provavelmente aconteceram”:

“Eu não tenho nenhum interesse em submissão e degradação. Estou interessado em testar limites, principalmente onde a linha vermelha está. Admito que muitas vezez eu fui longe de mais. Mas a questão é se você é um líder adorado ou não e eu sou um líder adorado”

 

Sam Smith emplaca com o álbum mais vendido nos Estados Unidos VOCÊ INDICA, EU COMENTO: The Sinner

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *