Miramar e The Weinstein Company, duas grandes produtoras de Hollywood que já foram encabeçadas por Harvey Weinstein. Esse figurão da indústria do cinema, conhecido por ser um player poderoso no lobby com os votantes da academia, foi denunciado em uma matéria bomba do The New York Times, que traçou o perfil terrível do assediador e abusador, com direito a declarações de diversas atrizes famosas.

Demitido da companhia que leva seu próprio nome, o produtor agora também perdeu a mulher, que anunciou o divórcio.

“Estou de coração partido por todas essas mulheres que passaram por uma dor enorme por causa das ações imperdoáveis dele”

Georgina Chapman é estilista, dona da marca Marchesa, que não por acaso vestia muitas das mais famosas atrizes que desfilam pelo tapete vermelho.

As atrizes Ashley Judd e Rose McGowan, são parte do coro da matéria estopim para tantas outras declarações a respeito da conduta criminosa do produtor nos últimos 30 anos, diversas acusações foram maquiadas com acordos ( pelo menos 8 identificados), em episódios que aconteceram não só em escritórios onde trabalhou, como também durante os festivais como o de Cannes e Sundance.

Ashley Judd narrou um encontro com Weinstein, em um hotel em Beverly Hills. Chamada para falar com o figurão, o encontrou apenas de roupão e pediu que ela lhe fizesse massagem, ou assistisse a seu banho. Já Rose McGowan contou que em 1996, logo quando lançou o filme Pânico, e aos 23 anos, foi assediada por ele em um hotel durante o Festival de Sundance, nesse caso houve até mesmo acordo no valor de US$ 100 mil para que o caso não acabasse no tribunal.

Filmes produzidos por ele? Pulp Fiction, de Quentin Tarantino, Gangues de Nova York, de Martin Scorsese, O Paciente Inglês, de Anthony Minghella e Shakespeare Apaixonado, filme pelo qual ganhou um Oscar, como produtor. O filme também laureou a atriz Gwyneth Paltrow com o Oscar de Melhor AtrizPaltrow confirmou a conduta doentia do produtor que a chamou para uma “reunião” em seu hotel, logo que a garota, então com 22 anos, assinou para fazer o filme Emma. O produtor teria a tocado e pedido que fossem ao quarto para “fazer massagens”.

“Eu era uma criança, tinha acabado de assinar o contrato e fiquei petrificada”

Paltrow contou ainda que além de recusar as investidas do produtor, foi ameaçada por ele depois de contar o que tinha rolado para seu então namorado, Brad Pitt. O ator inclusive confirmou essa versão ao New York Times.

O oráculo de Hollywood, entenda-se Meryl Streep ganhou Oscar e Globo de Ouro de melhor atriz por um filme produzido por Weinstein. Em A Dama de Ferro (2012), ela interpretou Margaret Thatcher. também comentou o ocorrido. Ao The Huffington Post a atriz afirmou que não sabia que o produtor estava envolvido em atos impróprios e coercivos e que as atitudes são vergonhosas, sem desculpas e um abuso de poder. Streep ainda elogiou a força das mulheres que o denunciaram, a quem chamou de heroínas.

“A notícia vergonhosa sobre Harvey Weinstein horrorizou aqueles de nós cujos trabalhos ele financiou, e aqueles cujas causas boas e dignas ele apoiou. As mulheres corajosas que usaram suas vozes para expor esse abuso são nossas heroínas. Uma coisa pode ser esclarecida: nem todos sabiam. Harvey apoiou o trabalho com ferocidade, foi irritante, mas respeitoso comigo em nossa relação de trabalho e com muitos outros com quem ele trabalhou profissionalmente.”

Judi Dench que também venceu um Oscar por filme do cara, também disse não saber. Outra mulher que passou por situação inaceitável na relação com o produtor foi Angelina Jolie, que foi assediada por Weinstein em 1999 durante a divulgação do filme Corações Apaixonados.

“Eu tive uma experiência com Harvey Weinstein quando era jovem e, como resultado, escolhi jamais trabalhar com ele novamente, e avisei outras mulheres quando elas trabalharam”

Foi  também o que disse a atriz Jessica Chastain: 

Ontem, a revista New Yorker trouxe mais depoimentos, da atriz e diretora italiana Asia Argento, da atriz Lucia Evans e de uma mulher que decidiu não se identificar. Todas relatam situações onde Weinstein tentou forçá-las a transar. A matéria ainda inclui o relato de Mira Sorvino, Rosanna Arquette e outras quatro mulheres que foram tocadas indevidamente pelo produtor.

E o que diz Harvey Weinstein? Ela nega as acusações de estupro.

“Todas as acusações de estupro foram negadas pelo Sr. Weinstein, que confirmou nunca ter forçado mulheres a fazer sexo com ele. Sr. Weinstein não pode falar sobre acusações anônimas, mas respeita qualquer mulher que tenha feito a denúncia contra ele. Sr. Weinstein acredita que todas as relações sexuais com estas mulheres foram consensuais.”

 Em um outro momento:

“Eu reconheço que a forma como me comportei com colegas no passado causou muita dor, e eu sinceramente peço desculpas por isso. Embora eu esteja tentando melhorar, sei que tenho um longo caminho.”

Algumas outras manifestações também aconteceram, e uma das mais polêmicas foi a da estilista Donna Karan. Em declarações ao Daily Mail, quando passava por um tapete vermelho em Los Angeles, ela disparou:

“Acho que temos de olhar para nós próprias. Obviamente o tratamento das mulheres no mundo é algo que tem sempre de ser apontado. Certamente num país como o Haiti, onde trabalho, em África, no mundo em desenvolvimento, são tempos difíceis para as mulheres. Ver isso no nosso próprio país é muito difícil, mas também penso sobre como é que nos apresentamos? Como é nos apresentamos como mulheres? O que é que estamos pedindo?O que é que estamos pedindo ao apresentar toda a sensualidade e toda a sexualidade?”

Mais tarde, um comunicado em nome da estilista dizia que a declaração foram tiradas de contexto e que não representam “o que sente ou acredita”. George Clooney também afirmou não saber do que acontecia, em declaração em uma entrevista bastante franca ao The Daily Beast:

“Muitas pessoas estão dizendo ‘é claro que você sabia’, e sim, se você perguntar se eu sabia que alguém que muito poderoso tinha uma tendência de dar em cima de mulheres jovens e bonitas, claro. Mas eu não tinha ideia de que tinha chegado ao nível de ter que pagar oito mulheres pelo seu silêncio, e que essas mulheres foram ameaçadas e vitimizadas. Eu conversei com muitas pessoas sobre isso, e não conheço muitas pessoas que sabiam. Este é um momento interessante. Eu vi muitas pessoas, desde Meryl [Streep] até Judi Dench, dizendo ‘puta merda’, e acho que essa foi a reação de muitas pessoas em Hollywood. Não acho que as pessoas estivessem ignorando a situação; acho que as pessoas não estavam prestando atenção porque, de certa forma, um cara depravado com dinheiro pegando meninas mais jovens, infelizmente não rende notícia na nossa sociedade.”

Hoje o TMZ informa que Harvey Weinstein deu entrada em centro de reabilitação para viciados em sexo localizado na Europa. Na clínica de reabilitação, ele trataria também, outras questões comportamentais.

 

Direto do Sofá: As séries documentais sobre crimes da Netflix DEPOIS DO CINEMA (lá em casa): El Bar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *