Navegação de Posts

O TOCADOR DE FLAUTA

pied_piper-7963983Foi uma noite de festa. O lançamento de “Pastores de Virgílio” me fez conhecer muita gente que freqüenta este blog que fala de coisas antigas e de silêncios. Isabel deixou-me 16 rosas vermelhas. Cito apenas seu nome para representar, neste texto, todas as outras pessoas que conheci. No final, talvez ainda valha a pena caminhar mais alguns passos. O livro Pastores de Virgílio pode significar mais um passo. O caminho é longo, eu sei. Sei também que todos os valores estão invertidos. Quase tudo se perdeu. Mas a festa de lançamento deu-me um alento, de ver tantos amigos e pessoas que não conhecia ali, folheando o livro. Um livro de ausências e pressentimentos. Resumindo tudo, escrevi na 4ª.capa do livro: “Este é um tempo de inversão de valores e de leviandades. Uma história brasileira. Uma cena do Brasil. Mesmo sendo amargo em relação à produção literária brasileira atualmente, especialmente no que diz respeito à poesia, acredito na sinceridade de muitos que trabalham seus poemas, seus romances, seus contos, com absoluta honestidade. O país é um circo, é verdade, mas ainda existe gente séria”. Claro que eu não me refiro unicamente à produção literária. Não. Eu me refiro a quase tudo. Por isso, continuarei a tocar minhas avenas com minha flauta de esquecimentos. É isso que escrevi em todos os autógrafos que dei. Todos. Continuarei tocando minha flauta, aquela que quase ninguém ouve. Mas se uma pessoa ouvir, se um animal ouvir, se uma planta ouvir, já terá valido a pena. Sou um pastor de ovelhas. Caminho montanhas de vento e sei que estou perdido com minhas sandálias de distâncias e meu cajado de sentimentos. É possível que ainda exista poesia em algum lugar. Está quase tudo destruído, mas o discurso é outro. Eu cansei de mentiras. Tocarei minha flauta até me falta o ar. E quando me faltar o ar, ainda tentarei soprar a música que deve sair de terra. Ainda cantarei por dentro todos os silêncios que me fizeram até hoje. Depois adormecerei.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • Soraia

    Poeta, como foi bom conhecê-lo pessoalmente, passo agora a admirá-lo
    mais, você com seus cabelos compridos, os olhos bastante tristes, muito tristes,
    mas há uma estrela em você, querido poeta, toque sua flauta sempre,
    sempre, sempre, toque sua flauta que sempre haverá alguém para ouvir.
    Seu livro é inteligente e é mesmo um documento brasileiro, como o anterior Palavra de Mulher.

  • sandra maria reis peres

    Querido Poeta,

    Parabens pelo seu lançamento foi um sucesso ,e conhecer as pessoas do blog

    foi melhor ainda e acho que vc tb conheceu muitos dos seus leitores .

    Poeta continue tocando sua flauta com sucesso

    Abraços

    Sandra

  • Patrícia Cicarelli

    Querido Poeta, parabéns mais uma vez pelo lançamento. A festa de ontem foi magnífica. O livro é lindo e profundo. Espero que todos os habitantes do seu Blog tenham ouvido hoje o comentário final do Jornal da Manhã da Pan sobre você, sua obra e seu “Pastores de Virgílio”, foi emocionante e mais do que merecido. Já estamos aguardando pelo próximo.

  • Maria Inês de Castro

    Querido poeta, não pude ir ao lançamento, mas já estou lendo o livro.
    Tive problemas e não pude conhecê-lo ainda.
    Ficará para uma próxima vez ou então eu vou invadir a Jovem Pan gritando
    por seu nome.
    Muita sorte para você e para seu livro.

  • Isabel

    Poeta, posso fazer um retrato seu ?
    Você não achará ruim ?
    Não ficará bravo comigo ?
    Você é lindo e tem um rosto melancólico, você tem cara de poeta mesmo,
    um certo ar de fragilidade, um olhar humilde, um sorriso quieto e de gestos tímidos.
    Será que acertei ?
    Beijo para você poeta querido.

  • Marquês

    CARO AMIGO POETA: JÁ ESTOU ME DELICIANDO COM A LEITURA
    DE PASTORS DE VIRGÍLIO.
    QUANTA VERDADE NA SUA APRESENTAÇÃO DO LIVRO!!!!!!!!!!!
    PRECISAMOS DE GENTE ASSIM!
    QUANDO VOCÊ VOLTARÁ A GRAVAR NA JP ONLINE ?

  • Wanderson da Silva

    MEU CARO POETA: SEI QUE O SENHOR É UM PASTOR QUE ANDA E PENSA COISAS BOAS, QUERIA QUE EM SUAS CAMINHADAS PELOS MONTES E VALADOS, PUDESSE UM DIA PASSAR PELAS SERRAS AQUI DE MINAS GERAIS, QUEM SABE NÃO TERÍAMOS O PRIVILÉGIO DE TER UMA FESTA COMO ESTA DO LANÇAMENTO DE “PASTORES DE VORGÍLIO” AQUI EM BELO HORIZONTE, A QUAL EU PARTICULARMENTE DEVIDO A DISTANCIA NÃO PUDE IR, DESEJO MUITAS FELICIDADES E ESPERO QUE OS TOQUES DE SUA ETERNA FLAUTA PAIRAM SOBRE OS OUVIDOS DOS MINEIROS, ABRAÇOS, WANDERSON

  • ÁLVARO ALVES DE FARIA

    Caro Marquês… Ficou até bonito: Caro Marquês.
    Vou seguir essa linguagem:
    Caro Marquês, comunico a V.S. que voltarei a gravar na Jovem Pan Online
    na 2a.feira que vem.
    Até já escrevi a história.
    Comunico até o título: “Dilma, a nova ambientalista brasileira”.
    Considerações poéticas e abraços fraternos.

  • ÁLVARO ALVES DE FARIA

    Caro WANDERSON DA SILVA:

    Sou mesmo pastor de ovelhas, como Fernando Pessoa de O Guardador de Rebanhos.
    Clontinuarei a tocar a minha flauta.
    Quanto a Minas, mora no meu coração.
    Por exemplo: frequento a cidade de Lambari, onde tenho uma casa, há mais de 30 anos.
    É o único lugar – tirando Portugal – onde me sinto um pouco feliz.

  • Beatriz

    Como foi bom, poeta, ver você de perto.
    Como foi bom falar um pouco com você.
    Eu musa de outrora e o tempo se desfaz.
    Foi bom vê-lo novamente, Álvaro.
    Pastores de Virgílio é uma delícia de livro.
    Coisa séria.
    Que tenha uma bela trajetória, que você merece.
    Muitos beijos da Beatriz.

  • Isabel Campos

    Álvaro

    Com a força divina que conduz o teu coração de Poeta, tocarás tua flauta…
    “Pastores de Virgílio” é mais uma de suas importantes contribuições à Literatura. Parabéns!
    Que privilégio levar-te um abraço ontem e conhecer sua família; esposa e filhas encantadoras, bem como outros colegas deste Blog, que como eu, têm profundo respeito e admiração pelo teu trabalho.

    Vale a pena caminhar todos os passos possíveis.

  • Paulo Marcondes

    Parabéns pelo seu novo livro que já estou lendo, Álvaro.
    Fui ao lançamento mas não peguei seu autógrafo.
    Mas gostei muito do que vi, já que não é sempre que vou a lançamento de livro.
    Mas no seu fiz questão de comparecer.
    E que boa notícia essa de você voltar a gravar na JP Online na 2a.feira.
    Parabéns.

  • Zuleika dos Reis

    Caro pastor: Foi um encontro perfeito, o som da tua flauta soava por todos os lados, assim como emanava de cada um dos presentes o afeto mágico que tu, maestro, sabes despertar nos corações, de mulheres e de homens. Também para nós, leitores do teu blog, foi maravilhoso nos re-conhecermos uns aos outros. Faltou “apenas” um sorriso mais pleno nos teus lábios e no teu rosto.
    Zuleika.

  • Berenice

    Peço licença para completar o retrato feito pela leitora ISABEL.
    É tudo aquilo que ela escreveu e mais o que quero acrescentar:
    UM HOMEM DELICADO.

  • Zuleika dos Reis

    Seria preciso dizer muito mais e infinitamente calar a dimensão da magia dolorida-feliz da noite de ontem, Pastor. Como dizê-lo? Como calá-lo?

  • Berenice

    E EDUCADO também, o que está faltando, infelizmente.

  • ISABEL CINTRA NEPOMUCENO

    POETA QUERIDO
    Meu coração quer contar, ou tentar, da importância da noite de ontem.
    Quando cheguei, eu o vi autografando os Pastores para alguém; estava sério, concentrado na importância do que fazia.
    Mas quando me recebeu, com um sorriso nos lábios e um carinho nas mãos, senti você crescer como um guerreiro que é, pronto para qualquer e todas as tempestades.
    Mas o que mais tocou (e muito fundo) o meu ser, foi a sua transparência, a sua integridade, a sua dignidade, a sua convicção diante dos fatos que ainda o deixa fragilizado e, ao mesmo tempo, sua doçura, sua educação, sua atenção contrastando com o outro lado da moeda.
    É como se por dentro você fosse um furacão de sentimentos e por fora, um anjo que despencou do céu e que procura desesperadamente salvar o pouco que resta de essencial e puro no falar, no escrever, no pensar, no contar, no compartilhar.
    E talvez o equilíbrio esteja justamente aí, esse equilíbrio que trás lucidez e força à você.
    Como é acalentador estar próximo à você, seu gesto suave, sua vóz doce e firme…

    O bom combate foi travado e vencido, o lançamento foi um sucesso, seu livro é de uma importância tão grande, toda contida nessa introdução tão profunda, tão verdadeiramente cruel.
    Obrigada, meu querido, por colocar diante de nossos olhos todos esses Pastores, para que possamos enriquecer nossas mentes com verdades, com experiências sinceras, com alentos e esperanças.

    Obrigada, também, por ter proporcionado o encontro entre nós, seus leitores do blog, pessoas carinhosas e lindas, que abriram suas portas, seus sorrisos, seus gestos de amor.

    Só queria pedir uma coisa à você: é claro que sentimos falta dos seus videos políticos e literários mas saberemos esperar o tempo que for necessário, para que você possa recuperar suas forças físicas, suas energias mentais; queremos ver você sempre bem!

    Obigada, Álvaro, por você existir neste universo de adversidades mas aonde ainda impera o amor.

  • http://outubro.blogspot.com Nei Duclós

    ABRAÇO

    Nei Duclós

    Quero te dar um abraço modesto:
    do tamanho do mundo
    Pequeno em relação ao universo
    Enorme para nossos passos

    Quero te dar um abraço profundo
    que surpeenda as almas, apesar da idade
    E que a gente morra quando se aperte

    (Do livro Outubro, 1975)

  • http://www.primiciaspoeticas.blogspot.com/ Octávio Roggiero Neto

    Álvaro, quero parabenizá-lo mais uma vez pelo dia de ontem, pelo seu livro. Como disse ao final do evento, lerei com toda a atenção merecida. Tenho certeza que minha consciência sobre os bastidores da Poesia crescerá. Só ainda não posso aquilatar se isso é bom ou ruim. Digo isso porque acredito que somos levados à condicionar nossos atos de acordo com nossa fé. E não há como fechar os olhos para o pessimismo com que você esmiúça a realidade da Poesia, ou melhor, da política literária nacional, e o faz com a propriedade de alguém que há muito luta para que a arte maior não se banalize. Talvez soe ingênuo e talvez de fato seja ingênuo, mas creio que os poetas também devemos levar conosco certa perspectiva otimista, sim, algo como uma lente que vai turvando o primeiro plano e mostrando com nitidez mais ao largo, onde o outro lado de tudo nos acena e nos convida para um abraço de esperança. E pensar que um dia não necessitaremos mais nem de esperanças… Apenas do amor que, nas lições bíblicas, é o maior dos sentimentos e das ações. Discurso de um visionário? Pode ser. Mas temos que conservar isso em nós, se não perderemos o sopro de vida, aquilo que nos mantém em pé, mais que ossos e músculos.

    Um abraço amigo.

  • ROSA CARDOSO

    BÔA NOITE, POETA.
    BÔA NOITE, AMIGOS.

    Essa família espiritual está ficando infinitamente mais linda a cada dia que passa.
    POETA, mesmo você na noite de ontem ter demonstrado um olhar triste, como alguns amigos relataram
    você continuará a tocar sua flauta, continuará a ser o mentor espiritual dessa família.
    Parabéns pelo sucesso no lançamento do seu livro

    UM ABRAÇO POETA.

    UM ABRAÇO AMIGOS

    UM BEIJO ZUKA.

    UM BEIJO ISABEL NEPOMUCENO

    BOM FINAL DE SEMANA Á TODOS.

    ROSA CARDOSO.

  • Zuleika dos Reis

    Beijo grande para ti, querida Rosa. Que pena você não ter estado lá!
    Zuka/Zuleika/Zu/(…)/

  • ROSA CARDOSO

    POETA,

    Pensei que o seu primeiro video na JP ON LINE , fôsse ser sobre aquela magnífica apresentação

    da “CANTORA” VANUSA cantando o HINO NACIONAL, quando eu vi aquele video na ASSEMBLÉIA
    DE SÃO PAULO, senti vergonha mas meu primeiro pensamento foi em você.
    Pensei comigo E O POETA ESTÁ DE FÉRIAS E NÃO VAI TER A CRÍTICA DELE, QUE PENA.

    UM ABRAÇO POETA.

    ROSA CARDOSO.

  • José Anito

    Poeta,Álvaro,Parabéns pelo sucesso no lançamento do seu livro.
    Fiquei encantado com tudo e com todos.
    Vin lendo no Metro, justamento a 4ª.capa do livro.
    Pau no Gato e outra no Rato.
    Eba!,Eba!, 2ª – feira que vem vou ter rizadas garantidas
    Nosso Poeta estará de volta no Jovem Pan Online.
    .

  • José Anito

    Acrescentação: foi um Pau no Gato e outro no Rato.

  • ISABEL CINTRA NEPOMUCENO

    Álvaro querido
    Me permita deixar um recado aqui, para a Rosa Cardoso:
    pensei que iria encontrá-la no lançamento e fiquei triste ao saber que não poderia estar.
    queria muito ter podido retribuir seu carinho de tantos dias, com um grande e terno abraço, passando toda a energia boa que existe em mim para o seu coração.
    espero ter a oportunidade de encontrá-la um dia.
    por certo você já se inteirou da festa de ontem e de como nos sentimos felizes junto ao Poeta, ao seu livro, ao seus amigos.
    receba meu beijo de boa noite e mais uma vez obrigada pelo seu carinho.

    Álvaro
    Lembre-se que também o Sol vai descansar no Oriente para, no dia seguinte, se erguer majestoso no Ocidente.
    Dorme bem, meu querido.

  • Berenice

    Quero ressaltar o que disse a leitora Isabel Cintra Nepomuceno, que deixou 16 rosas vermelhas para o poeta,
    no que ela se refere à introdução de Pastores de Virgílio: a introdução do livro, assinada pelo poeta, é demolidora
    e isso vai muito além da questão literária, a mensagem está clara para quem quiser entender. Só mesmo um
    poeta como ele pode dizer aquilo com o peito aberto, sem receio de nada, até porque como ele mesmo já disse muita vezes, até mesmo neste blog, a esta altura de sua vida nada há mais a temer. No que diz respeito somente à literatura ou à política literária,
    essa introdução é um documento à parte, como é o texto “Na contramão”, também do poeta, que provocou
    tanta polêmica quando foi publicado. Se não me engano, está no seu site e na Internet. Jornalista, combate com veemência o mau jornalismo cultural que empobrece
    este país, denunciando os acordos dos medíocres, e como poeta, defende a poesia feita com honestidade e não como um joguinho de palavras. Os poetas jovens que se mirem nesse poeta que não quer mais ser poeta
    brasileiro e que, como ele diz, foi buscar em Portugal a poesia que lhe falta aqui. Álvaro, você é sim um POETA BRASILEIRO, dos mais combativos que conheci até hoje e olhe que leio muito, muito, especialmente poesia. Você
    é poeta em tudo, dia e noite, noite e dia. Essa introdução do livro é uma lição que vai muito além da questão
    literária. E as suas perguntas feitas aos poetas e escritores foram conduzindo o próprio livro,
    mostrando a direção ao leitor. Quero destacar a entrevista com o grande poeta Ferreira Gullar. Que dor, Álvaro,
    que dor! É de chorar! E eu pergunto: quem já publicou aquilo de Ferreira Gullar que você colocou no seu livro ? Ninguém. Por isso, querido poeta, parabéns pelo seu livro, pela introdução do livro, por todas as entrevistas apresentadas, uma verdadeira aula de literatura.

  • flora flora flora flora flora

    Berenice, nem vou comentar o livro do Álvaro, que já estou lendo.
    Quero cumprimentá-la pelo que você escreveu. Assino embaixo, com todas as letras.
    Parabén!

  • Zuleika dos Reis

    Ainda não li para além da primeira entrevista, com o Affonso Romano de Sant’Anna, companheiro de vida, rumos e poesia da grande poeta Marina Colasanti. Nesta primeira já está a marca sua de entrevistador munido de sensíveis antenas para com a obra e a pessoa do entrevistado, no mesmo clima e diapasão do – alguém já teceu aqui, comentário sobre isso – PALAVRA DE MULHER.

  • Carla Macedo

    GENTEEEEE, é inacreditável, mas o nosso querido POETA apareceu aqui na redação, agora, às 17h45, tirou o menino do seu computador, sentou-se em sua mesa, tirou um pente do bolso e penteou os cabelos, já brancos, é claro, alegando que precisava desembaraçar seus fios, pois ventou muito pela janela do carro.
    Bom, depois de toda essa cena, ele veio ao meu encontro e me perguntou se era muito gay fazer isso.
    Então eu respondi: Poxa, Poeta, isso é coisa de velho e de gay.
    Por final, ele disse: Então, a partir de agora, passarei a pentear meus cabelos no banheiro.

    Mas, enfim, isso são detalhes engraçados do nosso Poeta.
    O interessante mesmo é que ele está em plena forma física, de camisa colorida, cores alegres, como vermelho e azul, se é que estou vendo bem.
    Está feliz e escrevendo, acho que alguns textos…ainda bem que ele voltou, acho que agora é pra sempre…estou emocionado ao vê-lo tão bem.

    POETA, MEU QUERIDO COMPANHEIRO, AINDA BEM QUE VOCÊ VOLTOU PARA ALEGRAR O MEU PLANTÃO DE TANTAS HORAS.
    SEJA MUITO BEM VINDO!!

    Ah, queria muito ter conhecido alguns de seus 19 leitores no lançamento do livro, mas não tive a oportunidade. Espero que em uma próxima ocasião eu tenha esse privilégio.

    Gente, mais tarde, eu e o Poeta, vamos tomar um café. Ele me convidou, acho que vai pagar a conta, então vou abusar. Mas, continuando: vou aproveitar o momento para saber como ele está, apesar de me parecer ótimo.

    BJOS A TODOS.

  • AUGUSTO ROQUE

    POETA,já tive muitas alegrias na minha vida.sou uma pessoa privilegiada.
    DEUS me deu uma familia maravilhosa e uns amigos maravilhosos.
    essa quinta feira 10/09/2009 vai ficar marcada como uma das coisas muito importantes que aconteceram na minha vida. conhece-lo era uma grande vontade minha e ainda fui premiado,estava com sorte,pois além de voce,ainda conheci a PATRICIA RIZZO,que doçura,a ZULEIKA,quanta
    amabilidade e o JOSÉ ANITO,quanta simpatia. seguramente outros amigos do blog lá estavam,pena que não tive a oportunidade de conhece-los.noite linda, como eram lindos todos os presentes. eu já o admirava muito,depois da atenção que voce dispensou a mim e a minha familia, passei a admira-lo muito mais.serei um porta voz para divulgar seu trabalho junto a minha familia e meus amigos.
    um grande abraço a voce e a todos os amigos deste blog.
    ps:sua volta segunda feira na jp está sendo muito esperada,não falte,
    tá!

  • AUGUSTO ROQUE

    CARLA,voce tem muita sorte em trabalhar com o POETA. voce deve ser
    uma pessoa muito feliz.eu a invejo. só não invejo esse café que voce foi
    tomar com ele,pois eu tive o privilégio de acompanha-lo num taça
    de vinho.viu que sorte eu tenho? brincadeiras à parte,continue denunciando o seu dia a dia,acho que todos nós gostamos de saber como o POETA
    passa seus dias. obs:(arrume um lugar prá mim na redação).risos.

  • Carla Macedo

    Gente, sou eu de novo.
    Preciso dizer que brinco com o poeta assim porque somos muito amigos.
    Vendo melhor, ele está com os cabelos lindos.
    E quando usei a expressão “velho” e “gay” aqui foi por pura brincadeira, da qual ele participa.
    Não foi desrespeito como pode parecer.
    Às vezes ele diz que não aguenta andar e vai se arrastando na redação segurando nas mesas.
    Muita gente pensa que é verdade.
    O poeta é o poeta e ponto final.

  • ISABEL CINTRA NEPOMUCENO

    Álvaro
    Me permita “desmascarar” a Carla: fala a verdade, Carla; você está morrendo de medo de ser mandada embora, porque você ficou “difamando” o Poeta.
    Aposto como ele puxou sua orelha e fez você ajoelhar e pedir perdão, na frente de todo mundo na redação: de tanto que está ardendo sua orelha, você foi obrigada a se retratar publicamente.
    Confessa, vai.

    Álvaro, como me vejo em você, fazendo essas travessuras; às vezes quando estou passeando com minha irmã, nós fazemos algumas gracinhas; só que você faz aí na redação e nós duas, na rua (é muito divertida a reaçãod as pessoas).

  • ROSA CARDOSO

    BÔA NOITE, ISABEL NEPOMUCENO

    Muito obrigada por suas palavras, eu não tinha como ir no lançamento do livro do POETA, estou com o
    horário de trabalho um pouco apertado, não vai faltar oportunidade.
    Cuidado quando sair com sua irmã, não vão subir na jaboticabeira, não levem a saúde de vocêa para o médico.

    POETA, a sua moral foi por água abaixo. Não seja GAY nessa idade por favor.
    A CARLA foi fundo dessa vez.srsrsrrssrrrrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrssrrrr

    UM BEIJO ISABEL NEPOMUCENO
    BOM DIMINGO

    UM BEIJO ZUKA.
    BOM DOMINGO

    BOM DOMINGO Á TODOS.

    UM ABRAÇO POETA
    BOM DOMINGO

    ROSA CARDOSO.

  • Zuleika dos Reis

    Ai, que maravilha, o Poeta fazendo travessuras, este garoto de cabelos brancos, os longos cabelos, de poeta, um pouco também do profeta que é: nosso menino; menino de todos que o amam: de sua esposa, a doce Maria Antonia e de suas meninas, Dayse e Amanda ( Amanda também é o nome da minha única sobrinha, minha única menina, de 13 anos); menino amado de seus amigos; menino amado de seus companheiros de trabalho na Pan e de seus companheiros de poesia; menino amado de seus leitores, todos e tantos entre os quais nos incluímos, as pessoas sempre presentes neste blog. Menino nosso, nosso menino: sê sempre bem-vindo, com tua alegria e com tua esperança.
    Queridos amigos do blog, caros Augusto Roque: foi maravilhoso conhecer os que estiveram na festa do Poeta; é maravilhoso conviver com vocês todos os dias. Querida Patrícia Rizzo: que emoção conhecê-la e também ser chamada de Zuka por algumas pessoas da Pan, como se eu merecesse. Como se eu merecesse. Não mereço, apenas agradeço, do fundo do coração.
    Beijo em todos.
    Zuka/Zuleika.

  • Carla Macedo

    Bom, primeiro responderei a Isabel:
    Querida Isabel, o Poeta é mais do querido para mim. Ele é meu professor, a pessoa que me ensina tudo que preciso aqui na redação. É alguém especial. Só que somos bastante amigos e às vezes brinco com ele. Tudo bem, confesso que exagerei dessa vez. Mas foi a emoção de vê-lo. Ele faz muita falta aqui na Pan.

    Agora, dona Rosa, o Poeta, quando viu sua mensagem, me chamou e disse: olha Carla, olha o que você me aprontou. Até Portugal já deve saber do GAY.
    Bom, espero conhecer vocês duas em alguma oportunidade. Bom fim de semana.

    Agora a todos: GENTE, fomos tomar o tal do café, chegamos lá e ele pagou pra todos os clientes, além de falar com pessoas estanhas, que apenas transitavam pela rua. Chamou a atenção e me pareceu muito bem, muito bem mesmo.
    Mas assim que subimos, ele me pediu para pegar uns textos na impressora. Então percebi que ele já estava cansado e me preocupei novamente.

    O quê eu posso fazer????

    Agora ele está assistindo televisão, sinal de melhora…BJOS, CARLA MACEDO!!!

  • ROSA CARDOSO

    ZUKA, já pensou A RAINHA e as DUAS PRINCESAS do lar do POETA ficarem sabendo

    que o REI do lar delas é GAY? Vamos construir um estátua em praça pública em homenagem

    A RAINHA e as DUAS PRINCESAS DO LAR DO REI POETA.

    Doce CARLA MACEDO, “DONA” ROSA não existe, só existe ROSA

    Somos uma família, você faz parte dela, por favor me chame só de ROSA. OBRIGADA.

    POETA, sua situação piorou

    UM BEIJO CARLA
    BOM DOMINGO

    UM BEIJO ZUKA.BOM DOMINGO.

    UM ABRAÇO POETA.

    POR FAVOR, NÂO FIQUE BRAVO
    Peça a RAINHA e as PRINCESAS não ficarem bravas

    BOM DOMINGO.

    ROSA CARDOSO.

  • Zuleika dos Reis

    Um beijo e maravilhoso domingo para ti, querida Rosa. Um beijo e maravilhoso domingo para todos.

  • Zuleika dos Reis

    Álvaro, de todos os poemas teus publicados em livro, o 2° que me sulca mais visceralmente, por identificação absoluta é este, de A MEMÓRIA DO PAI ( presente em OS MELHORES POEMAS):

    1.
    Meu pai
    nunca soube
    que eu morri.

    Levantava-se às manhãs
    e ia às terras e às ovelhas
    e ao passar
    pelo meu quarto
    pensava-me a dormir.

    À noite voltava
    com as mãos cheias
    de castanhas
    e ao ver-me ausente
    imaginava-me a navegar
    oceanos distantes.

    Jamais nos encontramos
    nos cômodos da casa.

    Meu pai
    nunca soube
    que eu morri.

    Zuleika.

  • Zuleika dos Reis

    No meu comentário anterior, a colocação ” de todos os poemas teus publicados em livro…” pode causar estranheza nas pessoas que o lerem. Explico: alguns dos textos publicados pelo Poeta aqui no blog têm, na minha opinião, a estatura de verdadeiros poemas, alguns sendo mesmo poemas de excepcional qualidade. Vocês não concordam?
    Zuleika.

  • Pingback: buy pianos

  • http://rrbqwu.com/ CuPcyptj

    BgbYOO

  • http://paola paola

    quer transar comido gostosinho

  • http://paola paola

    comigo